Como o Brexit pode afetar Doctor Who

Há um mês, um referendo decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia.

Mas o que isso tem a ver com Doctor Who? Muita coisa: provável redução nos investimentos, dificuldades para gravar em outros locais e até uma possível restrição na escolha do elenco podem preocupar whovians de todo o mundo.

O Trenzalore listou alguns dos motivos que podem fazer o Brexit prejudicar Doctor Who. Confira:

Gravações por toda a Europa

A série hoje tem passe livre para gravar em qualquer outro país pertencente à UE - inclusive foi divulgado que parte da 10ª temporada está sendo gravada em Valencia, na Espanha. No entanto, assim que ocorrer a saída definitiva da Grã-Bretanha do bloco, Doctor Who deve ter muitas dificuldades para gravar fora do Reino Unido, já que terá de passar por todo o processo burocrático para rodar um set de filmagens em outro país - e talvez até sofra retaliações de outros países por causa da saída inesperada da União Europeia.

Financiamentos europeus

Além disso, a BBC Worldwide, que é o bloco comercial da BBC e, portanto, a mantenedora de Doctor Who, podia recorrer à financiamentos de bancos do bloco para manter suas produções - o que não poderá ser feito assim que o Reino Unido deixar a União Europeia - ou seja, os investimentos na série podem cair.

A série galesa Hinterland, do canal S4C, está com esse problema: os produtores já afirmam que talvez seja impossível dar continuidade à trama sem o capital proveniente da União Europeia. (Fonte)

Independência da Escócia

Em 2014 a Escócia fez um referendo para definir se saía ou não do Reino Unido, e 55% dos escoceses votaram por continuar na Grã-Bretanha, principalmente para permanecer na União Europeia. Entretanto, com a decisão do Brexit, a premiê escocesa Nicola Sturgeon já fala do país realizar um novo referendo pela independência do Reino Unido, pois 62% dos escoceses queriam que a Grã-Bretanha permanecesse na UE.

Escolha dos atores

Se a Escócia sair do Reino Unido, atores escoceses provavelmente não serão mais escalados para viver personagens em Doctor Who, já que a série é praticamente um patrimônio britânico. Vale lembrar que já tivemos três escoceses interpretando o Doutor: Sylvester McCoy (7º Doutor), David Tennant (10º Doutor) e o atual protagonista Peter Capaldi (12º Doutor). Dentre as companions da fase nova da série, Karen Gillan (Amy Pond), também nasceu na Escócia, assim como o atual showrunner da série, Steven Moffat.

Atores como Richard Madden e Robert Carlyle, que já foram apontados como futuros Doutores, são escoceses e talvez nunca dêem vida ao personagem caso a Escócia resolva abandonar o Reino Unido.

Temos ou não motivos para nos preocuparmos com o futuro de Doctor Who?




Texto escrito por Karina Rodrigues